Desenhando Expressões Faciais & Pequenos Detalhes (Parte 3)

Observe bem essas expressões:

O primeiro rostinho tá com uma carinha alegre. Mas não é uma alegre “normal”: é um alegre aberto, disponível, feliz, emocionado, apaixonado. Repare nas sobrancelhas. Elas estão um pouco distantes dos olhos. E sobrancelhas distantes significam surpresa, susto, timidez. Porém, não é o caso aqui. As sobrancelhas distantes têm mais um significado: abertura. Na época das cavernas, os seres humanos demonstravam abertura na comunicação erguendo as sobrancelhas, ao invés de dizerem: “Oi, vamos ser amigos, pode confiar em mim”. A linguagem ainda era escassa, e os gestos e expressões “falavam” muito!

Os olhinhos caídos, representados pelo corte da linha curva diagonal em cada pálpebra, reforçam ainda mais a ideia de abertura. Se os olhos fossem muito caídos, o significado seria outro, voltado para a tristeza. Quando a pessoa se apaixona, ou está emocionada, ou está com uma felicidade difícil de conter, a expressão fica bem assim.

O segundo rostinho mostra uma tristeza decepcionada. E, olha que interessante: é quase a mesma expressão do primeiro rosto, só mudou a boca. Um pequeno detalhe faz uma diferença enorme! Esse rosto mostra também uma frustração, uma tristeza cansada. Não é uma tristeza com raiva, com sinais de vingança. As sobrancelhas são de abertura, e os olhinhos caídos também dão ideia de abertura, de “pode confiar em mim”. Mas não está feliz. O que essa expressão pode representar no geral é algo assim: “estou com uma decepção enorme por ter me aberto em alguma coisa e ter recebido algo ruim em troca”; ou “por ter oferecido minha confiança e ter me frustrado.”

Nos dois casos, as sobrancelhas são finas, então não há excesso de energia. No primeiro rosto, a sobrancelha fina traz a sensação de delicadeza. No segundo, é uma decepção sem ação, por estar num contexto mais triste. Algo do tipo: “ok, aconteceu, estou triste, mas não posso fazer nada.”

Então, uma hora a sobrancelha fina é mais positiva, e em outro momento não é? Sim. Na leitura de uma expressão, as partes devem ser analisadas, mas a definição geral deve SER VISTA COMO UM TODO. SEMPRE COMO UM TODO. E NUNCA JULGAR UMA PESSOA POR SUA EXPRESSÃO. A análise é para ajudar na leitura não verbal, na arte e na vida.

A arte das expressões é muito rica, e quanto mais nos atentamos aos detalhes, mais o desenho e a relação com as pessoas no geral ficam harmoniosos! Pratique! J

Até!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *