Arquivos mensais: novembro 2016

Doce Recusa

Fiz essa pintura para um trabalho freelance. Era um momento em que eu estava sobrecarregada, e coloquei o trabalho acima de tudo.

19112016-01

“Doce Recusa” - 20x30cm
Acrílica sobre papel (com interferência digital)
2010 - Camila Lagoeiro

Não tava legal não, havia muita tensão… e muita tensão desnecessária. E as sensações que me vieram quando eu pintava, e, principalmente, depois que entreguei a arte, foram as seguintes:

Há momento onde é preciso recusar. Recusar o que já não serve mais; recusar o que não é adequado no momento; recusar o “agradar os outros só por agradar ou por medo de levar a culpa em alguma coisa”; recusar regras abusivas; recusar o sobrecarregamento.

Recusar conscientemente e com respeito a si é valorizar-se. Dar um tempo para si mesmo não é egoísmo (por mais que tenhamos aprendido dessa maneira); é apenas um ato de fazer bem a nós mesmo, e às pessoas ao redor. Você estando bem, faz bem aos outros.

Às vezes nos sentimos culpados por dar a nós mesmo algum presente: uma roupa nova, uma ida cabeleireiro, um carro melhor… e nos culpamos por se tratar de um “apego com a matéria”. Oras, vivemos na terceira dimensão; aqui tem matéria, e muita! O que devemos trabalhar em nós, não é o ato de lutar contra a matéria, mas sim, como disse Leonard Orr, “incorporar a matéria na vida consciente do espírito eterno”. Dar luz à vida material, sem ser escravo dela… “Trazer o céu para a Terra”(L. Orr).

Trabalhar excessivamente, sem descanso, não dar-se um tempo para ‘viver’ de fato, e não ter um momento reservado para a gratidão, são atitudes que podem ser vistas como materialistas. A vida é prazerosa, e é preciso ser vivida, aqui, agora. Com leveza, agradecimento, com responsabilidade e amor.

Recusar é aceitável. É necessário parar um pouco e observar a paisagem. Observar o mar, as árvores dançando com a energia dos ventos, e deixar, sim, de vez em quando, os planos regradinhos pra depois. Há tempo quando a quente quer que haja tempo. Deixe os papeis voarem. Recuse.

Namastê ^^